Um dos setores mais atingidos pela pandemia do novo coronavírus foi o cultural. Aos poucos, artistas, produtores e instituições começam a retomar as atividades, mas, claro seguindo todos os protocolos.
 
Depois da Prefeitura de Belo Horizonte ter autorizado a reabertura de museus, galerias de arte, teatros e cinemas, agora chegou a vez do governo do Estado também reabrir seus espaços culturais. 
 
A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo MG  (Secult) anunciou nesta quinta (22), a reabertura de seus equipamentos em várias cidades.

Com a entrada de municípios mineiros nas ondas amarela e verde do Plano Minas Consciente, museus, galerias, salas de espetáculo e teatros geridos pelo órgão e a ele vinculados já têm data para a reabertura de suas portas ao público: 3 de novembro, uma terça-feira. Dentre os espaços que vão reabrir estão Museu Mineiro, Centro de Arte Popular, Museu dos Militares Mineiros, Palácio das Artes, CâmeraSete (todos em BH), Museu Casa Guimarães Rosa (Cordisburgo), Museu Guignard (Ouro Preto), Museu Casa Alphonsus de Guimaraens (Mariana).

De acordo com um comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da Secretaria, um rígido protocolo de segurança está sendo implantando para garantir o retorno seguro das atividades presenciais, que estavam suspensas há cerca de sete meses.
 
As medidas de saúde e segurança para a reabertura estão sendo estabelecidas de acordo com as características específicas de cada espaço. Os equipamentos sob gestão de parceiros, como alguns espaços do Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, por exemplo, têm autonomia sobre o retorno do atendimento presencial e isso está sendo avaliado caso a caso. 
 
Ainda segundo a assessoria da Secult, no interior, os museus sob administração estadual são Casa Alphonsus de Guimaraens (em Mariana), Casa Guignard (em Ouro Preto) e Casa Guimarães Rosa (em Cordisburgo). A reabertura de cada um deles depende do avanço das ondas do programa Minas Consciente e também da liberação das prefeituras, mas, por enquanto, está prevista para o dia 3 de novembro nas três cidades.
 
Já a Biblioteca Estadual e o Arquivo Público Mineiro ainda não estão autorizados a reabrir por parte de decreto municipal.
 
O secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira,  ressaltou neste comunicado, que, durante os meses de paralisação das atrações presenciais, foram feitas adequações na programação dos espaços culturais sob gestão do Estado, para garantir a oferta de atividades virtuais e diversificadas para o público.

Protocolos de funcionamento

Além da abertura com até 50% da capacidade do atrativo, os espaços da Secult irão estabelecer a ocupação das áreas com distanciamento de 2 metros entre as pessoas. Haverá avaliação a cada 21 dias para ampliação do limite de participantes das atividades. 
 
Os protocolos possuem especificidades dependendo do tipo de local, assim, para a ocupação em teatros e espaços de espetáculos haverá marcação de assentos; já para museus haverá limitação de um visitante a cada 5m², agendamento prévio, além da habitual obrigatoriedade do uso de máscara e da utilização de álcool em gel.
 
Como forma de alcançar um público mais amplo, as atividades e ações virtuais devem continuar nestes espaços, ou seja, haverá uma programação híbrida, parte presencial, parte on-line.
 
Mais informações sobre os protocolos e agendamento de visitas acesse: secult.mg.gov.br .


Por O Tempo

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.