Subiu para 101, nesta segunda-feira (27), o número de cidades em situação de emergência em Minas Gerais por conta das chuvas. O decreto foi publicado no Diário Oficial do governo estadual nesta manhã (veja a lista de cidades no final desta reportagem).

A medida vale por 180 dias e possibilita ações mais céleres para a recuperação dos estragos e auxílio à população. Todos os órgãos estaduais estão autorizados a atuar nos trabalhos sob coordenação da Defesa Civil de MG.

Até o momento, o órgão confirmou a morte de 45 pessoas no estado, registradas entre sexta-feira (24) e domingo (26). Entre as vítimas estão crianças e bebês. Dezenove pessoas continuam desaparecidas. A maior parte das ocorrências está relacionada a risco geológico, como deslizamentos e soterramentos.

No fim de semana, quando 47 cidades estavam sob o decreto estadual, foi solicitado ao governo federal o reconhecimento do estado de emergência. O Ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil, Gustavo Canuto, esteve em Belo Horizonte neste domingo e disse que os atingidos pela chuva devem ter antecipação do Bolsa Família e do saque do FGTS.

Nesta segunda-feira (27), uma portaria publicada no Diário Oficial da União reconheceu a situação de emergência em decorrência das chuvas intensas nos 47 municípios. Canuto prometeu que o governo federal vai disponibilizar R$ 90 milhões para atender às demandas relacionadas às fortes chuvas em Minas Gerais.

Lista de cidades mineiras em situação de emergência (27/01)

  1. Abre Campo
  2. Almenara
  3. Alto Caparaó
  4. Alto Jequitibá
  5. Antônio Dias
  6. Barão de Cocais
  7. Belo Horizonte
  8. Belo Vale
  9. Betim
  10. Bocaiúva
  11. Bom Jesus do Galho
  12. Brumadinho
  13. Caeté
  14. Caparaó
  15. Caputira
  16. Carangola
  17. Cataguases
  18. Cipotânea
  19. Congonhas
  20. Conselheiro Lafaiete
  21. Contagem
  22. Cordisburgo
  23. Coronel Fabriciano
  24. Crucilândia
  25. Diamantina
  26. Diogo de Vasconcelos
  27. Divino
  28. Dores do Turvo
  29. Durandé
  30. Entre Rios de Minas
  31. Ervália
  32. Espera Feliz
  33. Felício dos Santos
  34. Felixlândia
  35. Fervedouro
  36. Guaraciaba
  37. Guidoval
  38. Ibiaí
  39. Ibirité
  40. Igaratinga
  41. Inimutaba
  42. Ipaba
  43. Ipanema
  44. Itapecerica
  45. Jeceaba
  46. Juatuba
  47. Lamim
  48. Luisburgo
  49. Manhuaçu
  50. Manhumirim
  51. Mariana
  52. Mário Campos
  53. Mateus Leme
  54. Matipó
  55. Miradouro
  56. Moeda
  57. Monjolos
  58. Muriaé
  59. Nova Era
  60. Nova Lima
  61. Nova União
  62. Oliveira
  63. Orizânia
  64. Ouro Branco
  65. Patrocínio de Muriaé
  66. Paula Cândido
  67. Pedra Bonita
  68. Pintópolis
  69. Ponte Nova
  70. Raposos
  71. Raul Soares
  72. Ribeirão das Neves
  73. Rio Acima
  74. Rio Casca
  75. Rio Piracicaba
  76. Rosário da Limeira
  77. Sabará
  78. Santa Bárbara
  79. Santa Cruz do Escalvado
  80. Santa Luzia
  81. Santa Margarida
  82. Santa Maria de Itabira
  83. Santana do Manhuaçu
  84. Santana dos Montes
  85. Santo Antônio do Grama
  86. São Geraldo
  87. São Gonçalo do Rio Abaixo
  88. São Gonçalo do Sapucaí
  89. São João do Manhuaçu
  90. Sarzedo
  91. Senador Firmino
  92. Senhora de Oliveira
  93. Setubinha
  94. Simonésia
  95. Taquaraçu de Minas
  96. Teófilo Otoni
  97. Timóteo
  98. Tocantins
  99. Tombos
  100. Ubá
  101. Visconde do Rio Branco

Por G1


Cordisburgo sofreu com a inundação de várias casas na madrugada deste sábado. Vários moradores ficaram ilhados e perderam tudo de suas residências.

Neste momento, os atingidos precisam de água potável, colchões, cobertores, gêneros de alimentação e roupas.

Autoridades e moradores organizaram um ponto para coleta e distribuição de donativos, na casa da professora Jussara Valgas, localizada na Rua Dr. Bueno, em um ponto estratégico. A Secretaria Municipal de Assistência Social também está recebendo doações, através de contato telefônico pelo (31) 99117-7865.

Vamos ajudar o próximo!



A forte chuva que tem atingido Minas Gerais, provocou a inundação de parte da cidade de Cordisburgo.

Na madrugada deste sábado, a região mais baixa da cidade, conhecida como "Várzea", ficou bastante inundada, deixando dezenas de moradores desalojados.

As ruas Dr. Bueno, Dr. Lund, José Silvério da Mata e José Paulo de Azevedo foram as mais atingidas. A água chegou até o Campo da Várzea, na Rua João Negrão Licas de Lima.

Em algumas residências, a água atingiu um metro de altura. Em vários locais os moradores perderam todos os seus pertences.

O abastecimento de água de toda a cidade está suspenso e a estação elevatória de esgoto, localizada na Rua Sinval Odorico de Paula ficou inundada.

O Prefeito José Maurício Gomes, o vice José Maria do Perpétuo Socorro, além de outras autoridades estiveram presentes no local.

A Secretaria Municipal de Assistência Social está realizando o mapeamento das vítimas e providenciando a distribuição de alimentação aos atingidos.

A Secretaria de Infraestrutura trabalha com todos os seus veículos, auxiliando na limpeza e manutenção das vias públicas e estradas danificadas.

Até o momento não foram relatados feridos.

Em breve mais informações.
























A arrecadação de impostos federais em 2019 totalizou R$ 1,537 trilhão, um crescimento real de 1,69% em comparação ao ano anterior. Corrigido pela inflação, o valor chegou a R$ 1,568 trilhão, o maior volume desde 2014, de R$ 1,598 trilhão. A análise das receitas do último ano foi divulgada hoje (23) pela Receita Federal.

Segundo o órgão, o resultado de 2019 pode ser explicado pelo desempenho da atividade econômica e “por fatores não recorrentes”, ou seja, que não se repetem. Os setores econômicos que mais contribuíram para o resultado foram as entidades financeiras, a extração de minerais metálicos, a eletricidade, o comércio atacadista e as atividades auxiliares do setor financeiro.

Um dos fatores não recorrentes citados pela Receita foi as reorganizações societárias de empresas (fusões e aquisições), que afetaram as arrecadações do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). O volume arrecadado com os dois impostos chegou a R$ 14 bilhões, também influenciado pelas alterações nas regras de compensação de créditos tributários com débitos relativos ao recolhimento mensal por estimativa.

A arrecadação com parcelamentos de dívidas, que ocorreu no início de 2018 e não se repetiu em 2019, também influenciou o resultado do ano. “Sem considerar o efeito dos fatores não recorrentes apontados, verifica-se crescimento real de 1,33% no período de janeiro a dezembro de 2019 e de 0,34% no mês de dezembro de 2019”, informa a Receita.

Em dezembro, a arrecadação total de impostos federais atingiu R$ 147,501 bilhões, registrando crescimento real – descontada a inflação – de 0,08% em relação a dezembro de 2018.

As receitas administradas pela Receita Federal, como impostos e contribuições, chegaram a R$ 144,817 bilhões no mês passado, resultando em crescimento real de 0,16%. No período acumulado de janeiro a dezembro de 2019, a arrecadação alcançou R$ 1,476 trilhão, com acréscimo real de 1,71% relativamente a igual período de 2018.

As receitas administradas por outros órgãos, que incluem principalmente royalties do petróleo, registraram queda em dezembro. Essas receitas totalizaram R$ 2,683 bilhões, no mês passado, com retração de 11,69% em relação a dezembro de 2018. No acumulado do ano, entretanto, houve aumento real de 1,28%, na comparação com 2018, chegando ao total de R$ 61,011 bilhões.


Por Agência Brasil


A Defesa Civil Estadual divulgou um alerta de chuva que pode ocorrer de forma moderada a forte intensidade em mais de 70 cidades de Minas Gerais. O alerta se deu por causa da atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul, em conjunto com um sistema de baixa pressão na costa sudeste do Brasil.

De acordo com meteorologistas, essas condições podem produzir volumes de chuva significativos, com acumulados entre 80 e 120 milímetros. Para algumas cidades, o alerta vale para as próximas 6 horas. Para outras, como é o caso de Belo Horizonte e região metropolitana, a atenção deve ser mantida nas próximas 24 horas. Confira os municípios em monitoramento pelo órgão de defesa estadual:

Belo Horizonte
Aimorés
Alfenas
Andrelândia
Araxá
Barbacena
Belo Horizonte
Betim
Bocaiúva
Bom Despacho
Brumadinho
Caetanópolis
Campo Belo
Caratinga
Carmo do Cajuru
Cataguases
Cláudio
Conceição do Mato Dentro
Conselheiro Lafaiete
Contagem
Curvelo
Divinópolis
Esmeraldas
Formiga
Frutal
Governador Valadares
Grão Mogol
Ibirité
Igarapé
Ipatinga
Itabira
Itaguara
Itajubá
Itatiaiuçu
Itaúna
Ituiutaba
Janaúba
Juiz de Fora
Lavras
Manhuaçu
Mateus Leme
Matozinhos
Montes Claros
Muriaé
Oliveira, Formiga
Ouro Preto
Paracatu
Pará de Minas
Paraopeba
Passos
Patos de Minas
Patrocínio
Peçanha
Perdigão
Piumhi
Pirapora
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Ribeirão das Neves
Sabará
Santa Luzia
Santa Rita do Sapucaí
São Gonçalo do Pará
São João del Rei
São Lourenço
São Sebastião
Sarzedo
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Três Marias
Ubá
Uberaba
Uberlândia
Unaí
Varginha
Venda Nova
Vespasiano
Viçosa

Fique atento

A Defesa Civil de Minas Gerais teve que desmentir um áudio que circulava das redes sociais ao longo desta manhã e o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto do órgão, divulgou um vídeo sobre o assunto. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Belo Horizonte também pede que a população fique atenta. “Em momentos de alerta de chuva, compartilhe apenas as informações oficiais da Defesa Civil de Belo Horizonte. Acompanhe no Instagram, Twitter, Facebook e Telegram pelo @defesacivilbh. Receba também mensagens no celular via SMS 40199. É grátis!”, diz o órgão.

Em caso de emergências, acione o Corpo de Bombeiros pelo 193

Não passe em locais de risco de inundação durante a chuva

Não atravesse ruas alagadas

Tenha cuidado redobrado com crianças em caso de enxurradas

Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores

Atenção especial em áreas de encostas e morros. Se observar fendas ou depressões, ligue para a Defesa Civil pelo 199

Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para a Cemig (116) ou a Defesa Civil

Em caso de raios, não permaneça em áreas abertas e altas e evite usar equipamentos elétricos

Alertas podem ser recebidos via SMS. Basta enviar o seu CEP para o número 40199. Cadastro é gratuito

Pelo aplicativo Waze é possível ter informações sobre vias bloqueadas


Por Mega Cidade


A Câmara Municipal de Cordisburgo realizou a primeira reunião ordinária do ano de 2020 na última quinta-feira, 16 de Janeiro.

Na tribuna livre, Ivan Miguel Costa Torres fez solicitação de instalação de sistema de ar condicionado no Centro de Atendimento ao Turista.

A Sra. Isabel solicitou providências quanto a uma senhora que transita com cachorros pelas ruas da cidade.

Vários assuntos foram tratados pelos vereadores, entre eles o odor emitido por uma indústria de pescados, além de reclamações quanto ao serviço prestado pela COPASA, limpeza rural e estado dos veículos públicos.

Confira a reunião na íntegra:

Tecnologia do Blogger.