Líderes partidários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal estão costurando um acordo para adiar as eleições municipais de outubro para o dia 6 de dezembro, em decorrência da pandemia de covid-19. A data já havia sido citada pelo presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), que disse também considerar o dia 15 de novembro como outra data possível.

Entre líderes da Câmara, há quase unanimidade pela escolha do dia 6 de dezembro, mas ainda não há um acordo fechado. 

No Senado também há expressivo apoio ao adiamento das eleições municipais para 6 de dezembro. A alteração está em uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), apresentada na terça-feira (19) pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).  A proposta foi subscrita por outros 26 senadores e prevê que o segundo turno será no dia 20 de dezembro. 

A PEC de Randolfe não altera o período de mandato dos atuais governantes e confere ao Tribunal Superior Eleitoral autorização para que promova a revisão do calendário eleitoral e a proceder os ajustes na aplicação da legislação infraconstitucional.

“Manter as eleições ainda no ano de 2020 garante a manutenção do período dos mandatos e a data de posse, sem colocar em risco a legitimidade do processo democrático de escolha dos dirigentes das cidades e dos representantes no parlamento municipal”, explica Randolfe na justificativa do texto. 

O senador prevê ainda que a pandemia pode fazer com que as campanhas eleitorais aconteçam de modo diferente do usual. 

“A depender do estágio de evolução da questão sanitária do coronavírus, tanto no ritmo de expansão do número de doentes quanto na ampliação da capacidade do atendimento hospitalar, será necessário estabelecer outras formas de realização da campanha eleitoral propriamente dita. Esses dois meses de adiamento serão tempo primordial para que seja possível a previsão e o estímulo para que, caso seja necessário, as reuniões, visitas, comícios e debates ocorram de forma não presencial”, avalia Randolfe.


Por João Frey - Congresso em Foco / Portal UOL


O Brasil superou mais uma vez o número de mortes registradas em um dia, atingiu 1.188. Com este acréscimo, o total chegou a 20.047. O resultado representou um aumento de 6,2% em relação a ontem(20), quando foram contabilizados 18.859 mil falecimentos por covid-19.

O país passou da casa dos 300 mil casos confirmados do novo coronavírus, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado hoje (21). Foram registrados 18.508 novas pessoas infectadas por covid-19, totalizando 310.087. O resultado marcou um acréscimo de 6,3% em relação a ontem, quando o número de pessoas infectadas estava em 291.579.

Do total de casos confirmados, 164.080 (53%) estão em acompanhamento e 125.960 (40,6%) foram recuperados. Há ainda 3.534 óbitos em investigação.


São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (5.558). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (3.412), Ceará (2.161), Pernambuco (1.925) e Pará (1.852).

Além disso, foram registradas mortes no Amazonas (1.620), Maranhão (663), Bahia (376), Espírito Santo (363), Alagoas (262), Paraíba (245), Minas Gerais (191), Rio Grande do Norte (178), Rio Grande do Sul (166), Amapá (151), Paraná (141), Rondônia (101), Santa Catarina (98), Piauí (91), Goiás (85), Acre (78), Distrito Federal (84), Sergipe (76), Roraima (72), Tocantins (47), Mato Grosso (34) e Mato Grosso do Sul (17).

Já em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (73.739), Rio de Janeiro (32.089), Ceará (31.413), Amazonas (25.367) e Pernambuco (23.911). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pará (19.756), Maranhão (16.058), Bahia (11.941), Espírito Santo (8.878) e Paraíba (6.238).


Por Agência Brasil


Diante do cenário atual, a cantora gospel Gabriela Diniz e sua equipe decidiram contribuir com a sociedade através da “Live Experience”, uma transmissão ao vivo através do seu canal no YouTube e página no Facebook que, além de levar palavras de esperança para as pessoas que estão em casa, fará arrecadação de doações que serão direcionadas a diversas famílias de Sete Lagoas/MG e região que passam por dificuldades durante o período de pandemia pelo COVID-19.

“Vamos arrecadar alimentos, produtos de higiene pessoal ou até mesmo quantias em dinheiro que serão usadas para abençoar diversas pessoas que estão passando por dificuldades nesse tempo difícil.”, ressalta a cantora.

Além de canções cristãs que estão entre as mais tocadas em todo o país, a cantora promete trazer em seu repertório clássicos que marcaram a história de muitas pessoas.

As doações já estão abertas e podem ser feitas através do aplicativo PicPay, pelo WhatsApp (31) 99517.7429 ou por meio do direct no perfil oficial no Instagram.

A “Live Experience” estará disponível nos perfis oficiais da Gabriela Diniz na sexta-feira, 22 de maio, a partir das 20 horas, e contará com tradução simultânea em libras (linguagem brasileira de sinais).



SOBRE GABRIELA DINIZ

Mineira, natural de Cordisburgo, cidade a cerca de 100km de Belo Horizonte, tem em seu histórico uma agenda cheia de apresentações em igrejas como a Igreja Batista da Lagoinha e vários grandes ministérios em Sete Lagoas e região.
Em 2017, a cantora chegou a ser finalista de um dos maiores Concursos de Música Gospel do Brasil, produzido pela gravadora W Music e apoiado por grandes nomes do cenário Gospel nacional, como Cristina Mel e a dupla André & Felipe.
Junto aos seus músicos, Gabriela está produzindo seu primeiro single que será lançado em breve em todas as plataformas digitais.


LIVE EXPERIENCE - GABRIELA DINIZ

Data: 22/Maio/2020 - 20 h
Transmissão: YouTube e Facebook | youtube.com/gabrieladinizreal - fb.com/gabrieladinizreal
Doações: PicPay | picpay.me/livegabrieladiniz
Doações: WhatsApp | (31) 99517.7429 | abre.ai/livegabrieladiniz
Instagram: @gabrieladinizreal | instagram.com/gabrieladinizreal
Facebook: @gabrieladinizreal | facebook.com/gabrieladinizreal



Em todo o mundo, a energia é uma das principais fontes para a melhoria e o desenvolvimento dos padrões de vida dos seres humanos e seu desenvolvimento sustentável. Com o rápido crescimento da população mundial nas últimas décadas, as necessidades de energia que também aumentaram a uma taxa ainda grande nos setores de industrialização e transporte levam a um aumento nos preços do petróleo, o que é diretamente afetado pela atividade econômica global.

Dessa forma, a busca de possíveis alternativas aos combustíveis fósseis se torna essencial para fazer circular nossos carros. Nesse sentido, uma substituição ideal seria caracterizada por fontes de energia renováveis, sustentáveis, eficientes e econômicas e com menos emissões de gases na atmosfera que a gasolina que tanto usamos no quotidiano.

Afinal de contas, o futuro do ecossistema mundial é obviamente uma questão importante. Tanto que recentemente, pesquisadores aprimoraram a conscientização sobre a proteção ambiental e o uso de combustíveis alcoólicos ou não fósseis para motores de combustão interna.

Geralmente, álcoois de menor peso molecular, particularmente etanol ou metanol, compreendem um grupo de combustíveis alternativos que são considerados atraentes para essa finalidade. E, de uma maneira direta, o álcool combustível tem mais vantagens em comparação aos combustíveis fósseis, embora não tenha o mesmo desempenho.

Vamos conhecer um pouco dessas características e as vantagens e desvantagens do álcool e da gasolina! Confira!


Limitações do etanol

Comparado aos combustíveis à base de petróleo, é muito menos denso em energia: um litro de etanol leva um carro apenas cerca de 70% até um litro de gasolina, e o etanol não pode fornecer energia suficiente para caminhões pesados ​​ou aeronaves. Além disso, o etanol se mistura com a água do ambiente, resultando em um combustível mais diluído. Também é corrosivo e, portanto, não pode ser facilmente utilizado nos motores atuais ou ser enviado de forma barata pelos oleodutos existentes.

Hoje, o etanol é frequentemente adicionado à gasolina para evitar a pré-ignição, ou "bater". Uma mudança para álcoois mais altos pode tornar mais viável a mistura de combustíveis ricos em álcool. As misturas de gasolina atuais geralmente não excedem 10% de etanol, mas é fácil imaginar uma mistura de combustível contendo 50 a 70% da energia mais alta, butanol menos corrosivo do álcool.

Alguns defensores até dizem que motores de carros não modificados poderiam funcionar apenas com butanol, que poderia ser uma opção de combustível para o futuro.


Uso de novas fontes de energia

O butanol também pode ser mais barato do que o etanol. Quando um lote de levedura produz etanol a partir do açúcar derivado de, por exemplo, milho, o álcool sai misturado com água. A água tem que ser fervida, o que significa usar mais energia para produzir o combustível. Mas o butanol e a água não se misturam, portanto podem ser separados por processos menos intensivos em energia.

O problema está na produção de álcool suficiente em primeiro lugar. Gerar grandes volumes de etanol é relativamente fácil. Cepas de leveduras foram domesticadas para fabricar bebidas alcoólicas há milhares de anos e são fermentadoras naturais, transformando glicose derivada de plantas em etanol.

Manipulá-los geneticamente para produzir mais etanol é simples. Embora existam organismos que produzem naturalmente butanol e álcoois superiores, a maioria deles produz esses álcoois em pequenas quantidades.


Gasolina ou álcool: qual a melhor opção?

O petróleo desempenha um papel importante na vida cotidiana em termos de fornecimento de bens ou alimentos, setor de transporte e mão-de-obra etc. Em todo o mundo, os depósitos de petróleo estão localizados em número limitado de países, muitos dos quais sofrem de instabilidades políticas e econômicas. Além disso, o comércio entre exportadores e importadores de petróleo é cada vez mais tenso e vulnerável.

Portanto, o álcool combustível é uma das melhores alternativas para substituir os combustíveis fósseis. A produção de combustível alternativo custa consideravelmente menos por causa do álcool produzido a partir da biomassa, carvão e gás natural com boa relação custo-benefício.

Se você pensar em desempenho e rendimento, a gasolina é 30% superior ao álcool etanol – mas ela é também mais cara. Agora, se pensar em proteção ambiental e um pouco mais de economia, o álcool é a melhor opção. Afinal, os combustíveis de álcool têm uma emissão evaporativa mais baixa, que agridem menos o meio ambiente.


Como calcular o combustível mais vantajoso?

É bem simples realizar o cálculo para se descobrir qual combustível é o mais vantajoso! É só dividir o preço de venda do litro do etanol pelo oferecido pela gasolina. E se o resultado for menor que 0,7, é o melhor abastecer seu automóvel com etanol. Agora, se ele der acima de 0,7, encher o seu tanque com gasolina é a melhor opção para o seu bolso.

Porém, outra forma mais assertiva de fazer esse cálculo é considerar o consumo exato do seu veículo. Dentro das características de consumo dele em litros por quilômetros rodados. E isso também é bem simples: você só precisa dividir o consumo do seu veículo com álcool pelo consumo que atinge ao usar gasolina. Assim encontrará a resposta sobre qual dos dois combustíveis é mais rentável financeiramente para o seu bolso.

Como se calcula isso? Basta levar em conta 1% abaixo da proporção exata de custo para os dois combustíveis. Por exemplo, se você tem carros econômicos, como um Ônix, por exemplo, e o seu consumo com álcool em meio urbano é de 8,8 km/l e o de gasolina chega a 12,9 km/l, basta dividir 8,8 por 12,9 terá como resultado 0,68.

A partir daí, basta retirar 1% do valor, o que daria o preço máximo do álcool na escala de 67% se comparado à gasolina. Ou seja, isso lhe traria uma boa vantagem financeira, pequena evidentemente, mas se você pensar em quantas vezes abastece seu carro ao longo de uma semana, mês, ou ano, a economia pode ser significativa!

Cabe lembrar que se o álcool etanol que você comprar nos postos de combustíveis brasileiros estiver custando a base de 69% ou mais em relação à gasolina, você estaria perdendo dinheiro abastecendo com ele!


Gostou destas dicas sobre as vantagens de cada tipo de combustível e de como calcular o mais econômico para o seu bolso? Aproveite e compartilhe este post em suas redes sociais!



Redator : David Bruno
Imagem de Pixabay


Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, detalhou em coletiva nesta segunda-feira (18) o calendário de pagamentos da segunda parcela do auxílio emergencial. Cerca de 60 milhões de pessoas receberão o benefício, dentro de três diferentes grupos. Nesse caso, tem direito a essa segunda rodada quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril.
Grupo 1 
O primeiro grupo divulgado pelo banco contempla os beneficiários do Bolsa Família, que possuem um calendário específico para o saque da segunda parcela. Veja datas:
Grupo 2 
Já o segundo grupo se refere aos brasileiros que não participam do Bolsa Família e que se inscreveram no programa via app e site. Por isso, eles receberão seu dinheiro apenas na Poupança Digital, por meio do app Caixa Tem ou pelo site da Caixa, a partir desta quarta-feira (20).
“Esse grupo representa 30 milhões de pessoas e receberá o depósito nas contas digitais. Essa parcela poderá pagar contas, como água, luz, gás, telefone, ou comprar produtos, como vestuário, alimentos, remédios, em sites parceiros da Caixa na internet, por exemplo”, afirma Guimarães.
Dia Mês de nascimento da pessoa 
20 de maio (quarta-feira)janeiro e fevereiro
21 de maio (quinta-feira)março e abril
22 de maio (sexta-feira)maio e junho
23 de maio (sábado)julho e agosto
25 de maio (segunda-feira)setembro e outubro
26 de maio (terça-feira)novembro e dezembro
Dessa maneira, esse grupo não precisa ir a uma agência e receberá o auxílio nas contas digitais. Desta vez, não será permitido a este segundo grupo fazer uma transferência DOC, como era possível na época do depósito da primeira parcela.
“Dois terços do primeiro grupo, ou seja, 13 milhões de brasileiros, realizaram DOCs para o filho, amigo, pai, etc, e isso gerava descontrole do ponto de vista dos saques”, explicou Guimarães.
Grupo 3
Os saques e transferências a partir das poupanças digitais serão liberados de acordo com um outro calendário. Além disso, pessoas com contas em outros bancos também se encaixam nesse terceiro grupo.
Ainda, os trabalhadores que receberam a primeira parcela do auxílio em outra conta terão o dinheiro restante na poupança digital transferido automaticamente para ela, seguindo esse calendário.
“Além de usar o dinheiro digitalmente, as pessoas poderão sacar em ATMs, lotéricas e outros bancos”, diz Guimarães.
Veja:
Esse grupo começa a sacar no sábado (23) e serão cerca de 2,5 milhões de pessoas contempladas por dia com o crédito, segundo Guimarães.
Guimarães lembrou que as agências continuam com “movimento tranquilo”, o que “demonstra que a organização, da maneira como foi feita quebrando em meses e espaçando o pagamento, funcionou”.

Última rodada da primeira parcela

Cerca de 8,3 milhões de brasileiros ainda vão receber nos próximos dias a primeira parcela. Segundo Guimarães, “esse é o último lote analisado pela Dataprev e entregue à Caixa no fim da semana passada”.
O calendário dessa rodada de saque segue a data de aniversário dos beneficiados. De acordo com Guimarães, cerca de 650 mil pessoas poderão sacar o dinheiro diariamente.
Veja o calendário dos usuários poderão fazer o saque da primeira parcela do auxilio emergencial e que não são do Bolsa Família:
Dias Mês de nascimento da pessoa 
19 de maio (terça-feira)janeiro
20 de maio (quarta-feira)fevereiro
21 de maio (quinta-feira)março
22 de maio (sexta-feira)abril
23 de maio (sábado)maio, junho, julho
25 de maio (segunda-feira)agosto
26 de maio (terça-feira)setembro
27 de maio (quarta-feira)outubro
28 de maio (quinta-feira)novembro
29 de maio (sexta-feira)dezembro
“Somando os usuários com beneficiários do Bolsa Família, serão 2,5 milhões de pessoas por dia podendo retirar o dinheiro”, sintetiza Guimarães.
O grupo de pessoas que está recebendo o dinheiro pela primeira vez pode fazer uma transferência para outra conta, além de poder sacar em espécie em caixas eletrônicos, agências da Caixa ou lotéricas.
O presidente do banco explicou que essa parcela de beneficiários receberá a segunda parcela em cerca de um mês, dentro de um calendário que ainda será divulgado.
Todas as pessoas autorizadas a receber o auxílio emergencial receberão três parcelas. “Só que receberão a primeira, depois de 30 dias a segunda e depois de mais 30 dias a terceira”, explica Guimarães.
Por InfoMoney
Tecnologia do Blogger.