Nesta segunda-feira, 25, um áudio circulou pelas redes sociais, de um médico que trabalha na rede pública de Sete Lagoas, criticando o atendimento prestado no Centro Municipal de Saúde Jenny Negrão de Lima, em Cordisburgo.

O áudio teria sido gravado por Dr. Aroldo, conforme apurou a "Folha de Sete Lagoas" e enviado para um amigo, o cordisburguense Lawrence Trombini, dizendo que este deveria ganhar as eleições, pois segundo ele, os pacientes estão sendo atendidos com descaso e que os médicos da cidade são despreparados.

Ainda no áudio, o médico relatou que uma pessoa de 33 anos chegou em situação grave ao Centro de Saúde e somente foi atendido muitas horas depois. Ainda afirmou no caso de um outro paciente de 21 anos, que o atendimento teria sido feito com morosidade e sua transferência não foi comunicada ao estabelecimento de saúde em que trabalhava.

Ouça o áudio:


Os dois pacientes foram transferidos para Sete Lagoas, para o Hospital Municipal Monsenhor Flávio D'Amato e para a UPA Doutor Juvenal Paiva, respectivamente, tendo ambos falecido no local. 

O áudio movimentou as redes sociais, com alguns comentários apoiando as cobranças do médico, e outros questionando a fala. Até mesmo a mãe de um dos pacientes gravou um áudio dizendo que estavam usando a morte de seu filho para fazer "política".

Lawrence publicou um áudio, também nas redes sociais, relatando que recebeu a gravação de um amigo que trabalha como médico na rede pública de Sete Lagoas. Disse que se trata de um problema grave e que não precisa se promover com a dor de ninguém e que quando candidatou a prefeito de Cordisburgo, este médico o ajudou bastante. Se mostrou indignado com as insinuações de que está fazendo política com o fato, e disse que a população de Cordisburgo precisa averiguar os problemas que estão acontecendo na área da saúde da cidade. Finalizou dizendo que nem sabe se será candidato nas próximas eleições.

Ouça o áudio:



A Prefeitura Municipal de Cordisburgo, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde, divulgou uma nota de esclarecimento nesta quinta-feira sobre o fato:

Em virtude de áudios que foram veiculados em grupos de Whatsapp e da publicação realizada pelo jornal Folha de Sete Lagoas, em 25/11/2019, sobre atendimentos realizados no Centro Municipal de Saúde Jenny Negrão de Lima, a Prefeitura Municipal de Cordisburgo e a Secretaria Municipal de Saúde prestam os seguintes esclarecimentos:
1 – Os atendimentos foram realizados por profissionais da área da saúde que estavam de plantão nos dias 23 e 24 de novembro de 2019, que são aptos a realizarem atendimentos, haja vista que possuem registro nos seus respectivos conselhos e somente foram contratados pelo município após a verificação de todos os requisitos legais que são exigidos na contratação.
2 – Em relação ao atendimento do dia 23/11/2019, cumpre aclarar que o paciente, foi prontamente acolhido pela equipe de enfermagem do Centro Municipal de Saúde Jenny Negrão de Lima, que imediatamente acionou a médica para que fosse prestado o atendimento. Após ser avaliado, o paciente foi medicado e permaneceu em observação e posteriormente seguindo o protocolo a médica plantonista solicitou a transferência do paciente para o Município de referência, sendo este, Sete Lagoas.
3 – Quanto ao dia 24/11/2019, o paciente chegou ao Centro Municipal de Saúde Jenny Negrão de Lima em Cordisburgo, no período matutino, sendo avaliado pela médica plantonista, tendo sido informada pela acompanhante do paciente, que no dia anterior, o mesmo havia sido atendido na Unidade de Saúde de Paraopeba. Logo após ser avaliado pela médica, foram realizadas tentativas de contato com a Unidade de Pronto Atendimento de Sete Lagoas, mas não logrou êxito. Por isso, a médica utilizou o protocolo que é a transferência do paciente para o município de referência, mesmo sem haver conseguido comunicar-se com a equipe médica da UPA de Sete Lagoas.
4 – Salienta-se que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sete Lagoas faz parte da Rede de Atenção a Urgência e Emergência, sendo referência para toda região e do próprio município de Sete Lagoas. Dessa forma, a sua equipe médica deve estar preparada a todo momento para prestar qualquer tipo de atendimento, independente de comunicação prévia.
5 – A Prefeitura Municipal de Cordisburgo e a Secretaria Municipal de Saúde, lamentam profundamente a postura precipitada, adotada pelo médico da UPA de Sete Lagoas, em relação as ocorrências supracitadas.
Solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos, rogando a Deus que dê força e conforto a todos, neste momento de profunda dor.

O Cordis Notícias continua atento ao desenrolar do caso.



Por Lucas Gustavo

Postar um comentário

  1. ESSES CARAS SÃO IDIOTAS! FAZENDO POLITICA EM CIMA DA DOR DE UMA FAMÍLIA! TEM QUE PROCESSAR ESSE MÉDICO QUE DIVULGOU ESSES ÁUDIOS.

    ResponderExcluir

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.