“Ele estava de férias, voltou terça-feira pra morrer sexta”, contou Leda Gonçalves dos Anjos, mãe de Adriano Gonçalves dos Anjos, um dos desaparecidos após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho. Na manhã desta quarta-feira (30), a família ainda vivia o drama de não ter encontrado Adriano.

A mãe e o pai do supervisor de máquinas pesadas da mineradora saíram de Cordisburgo, onde moram, e foram até a Academia de Polícia Civil, em Belo Horizonte, para coletar material para o exame de DNA, na manhã desta quarta.

“É uma dor terrível”, desabafou Leda, amparada pelo filho mais novo, Artur Gonçalves dos Anjos. A mãe contou que Adriano lutou muito pela Vale.

“O que não dá pra entender é a irresponsabilidade de deixar tanta gente no local com uma barragem tão próxima, né”, acrescentou Artur.


O irmão disse que Adriano é casado e tem uma filha de 11 anos. Segundo Artur, a menina ainda não acredita na morte do pai.

“É um luto eterno. A gente só pede pra localizá-lo. Isso é o mais importante. A gente tem um fio de esperança nessa questão de localizá-lo”, relatou.

Adriano Gonçalves dos Anjos ainda não foi localizado no desastre.

Por G1

Postar um comentário

  1. Infelizmente são diversas empresas que só pensam em ganhos a favor mutuo, esquecendo que o valor maior para a sua procedência e o ser humano

    ResponderExcluir

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.