A Polícia Civil, através da Delegacia de Paraopeba, realizou nesta quinta-feira, 22/03, a operação "Limpeza", para o cumprimento de 20 mandados de prisão e 26 mandados de busca e apreensão. Durante a operação foram mobilizados cerca de 160 policiais civis, entre Delegados, Escrivães, Investigadores e Peritos, além de cerca de 40 viaturas, helicóptero e cães do Canil da Polícia Civil.

Durante 6 meses de investigação, a Polícia Civil apurou que uma organização criminosa atuava no tráfico de drogas em Paraopeba, especialmente nos bairros Dom Bosco e Padre Augusto Horta, comercializando maconha, cocaína e crack.

Foram identificados os membros da organização criminosa que funcionava como uma empresa, com hierarquia e divisão de funções. No grupo havia desde o traficante, que efetivamente comercializava drogas, até as pessoas que prestavam auxílio aos criminosos, inclusive parentes deles, que também incorreram em crimes.

Além do tráfico de drogas, a organização criminosa cometia outros crimes e também dava suporte direto para roubos cometidos na região, até mesmo emprestando veículos usados nos crimes, além de se dedicar a diversos outros crimes.

Durante a operação o helicóptero "Carcará" deu apoio aos policiais em solo, sobrevoando todos os locais de cumprimento de mandados, onde foram apreendidos, em virtude de determinação judicial de sequestro,11 veículos e outros bens móveis.

Foram presas 19 pessoas, sendo 18 homens e 1 mulher. Elas responderão por diversos crimes, como tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, lavagem de capitais, associação criminosa, porte e comércio ilegal de arma de fogo, receptação e roubo, de acordo com o envolvimento de cada uma.

Os presos foram encaminhados para presídios de Ribeirão das Neves e Sete Lagoas, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Com a desarticulação dessa organização criminosa, espera-se uma queda ainda maior na criminalidade da região e a população pode contribuir com a Polícia Civil com mais informações sobre as atividades criminosas dos presos através de denúncias anônimas ao disque-denúncia, 181.

A operação foi coordenada pelo Delegado Arlem Peterson Silva Ribeiro e supervisionada pela Delegada Mariza Andrade, Delegada Regional de Sete Lagoas, e pelo Delegado-Geral Juarez Ferreira da Luz, Chefe do 19º Departamento de Polícia Civil.

Por Ascom Polícia Civil








Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.