Professores da rede estadual de Minas Gerais iniciaram nesta terça-feira (15) paralisação de três dias. O protesto, contudo, pode deflagrar greve por tempo indeterminado da categoria. 

Conforme a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), Beatriz Cerqueira, os docentes querem o cumprimentos da lei do piso salarial e são contrários a terceirização, a entrega das escolas para as Organizações Sociais (OS), o parcelamento de salários e a militarização das escolas.

"Além disso, exigimos que o Estado cumpra o acordo firmado no ano passado e faça o pagamento do reajuste de 11,36% retroativo a janeiro", detalhou. Para definir os rumos do protesto, a categoria irá se reunir na quarta-feira (18), às 14 horas, no pátio da Assembleia Legislativa, para votar a pauta de reivindicações.


A paralisação iniciada nesta terça foi convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores e trabalhadoras em Educação (CNTE) e está sendo realizada em vários estados. O mote do protesto é "não a perda de direitos dos trabalhadores em educação".

Em Cordisburgo, as Escolas Estaduais "Cláudio Pinheiro de Lima" e "Mestre Candinho" à paralisação. A Escola Estadual "Anísio Teixeira", em Lagoa Bonita, permanece funcionando normalmente.
 
A Secretaria Estadual de Educação (SEE) não se posicionou sobre a manifestação.

Fonte: Hoje Em Dia / Sind-UTE

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.