images/stories/2012/12-dez/saude.jpg

O Secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, apresentou na tarde desta quinta-feira (13), em coletiva à imprensa, um balanço das principais ações de saúde realizadas no estado em 2012 e os projetos para 2013.
Antônio Jorge iniciou a coletiva falando sobre o programa estruturador Saúde em Casa. "Desde o início do programa, já foram inauguradas mais de 1.400 unidades básicas. Em 2012, foram criadas mais 291 equipes do Programa de Saúde da Família (PSF), atingindo um total de 4.439 equipes de PSF em Minas, que é o maior número do país”, destaca.
Em 2012 também foram inauguradas 184 Unidades Básica de Saúde (UBS), totalizando 1.347 Unidades, além do pleno funcionamento de quase cinco mil equipes de PSF (Programa Saúde da Família). Em 2012, o Programa Saúde em Casa, recebeu investimentos de R$ 200 milhões, com 50 mil profissionais atuantes na atenção primária. “Para 2013 estão previstas a construção de 100 novas unidades, com investimentos previstos da ordem de R$ 250 milhões do tesouro estadual”, completou.
Assistência à saúde pública
A assistência à saúde pública de Minas Gerais é direcionada por meio de redes e programas que buscam atuar levando em consideração o grande contingente populacional e a vasta extensão territorial. “O Viva Vida, Hiperdia, Mais Vida, Saúde Mental e a Rede de Urgência e Emergência constituem motes essenciais na difusão da saúde pública eficaz. A relação de transparência com a imprensa e com a sociedade não é apenas uma questão institucional, uma vez que a mobilização da sociedade tem um papel crucial na melhoria da saúde pública juntamente com a difusão de informações para os cidadãos,” pontuou.
Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) possui em Minas Gerais mais de 31 mil estabelecimentos cadastrados, com aproximadamente 600 hospitais credenciados. No ano de 2012, houve 1,2 milhão de internações, com 175 mil partos realizados e mais de 50 milhões de consultas prestadas.
Na relação de melhorias realizadas em 2012 há ainda edificação de três novos Centros Hiperdia Minas (CHDM), que correspondem ao programa Hiperdia, voltado para os agravos de muita prevalência, como a Diabetes e a Hipertensão. Já nos Centros Mais Vida, somente em 2012, foram realizadas 14.520 atendimentos de 1ª consulta pelos Centros.
Em Minas, 65% das gestantes atendidas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) fizeram sete ou mais consultas durante todo o pré-natal. Mais de 29.269 gestantes foram cadastradas e acompanhadas no Programa Mães de Minas, além da criação de mais 230 novos leitos de UTI neonatal. Dos 220 mil nascidos em Minas por ano, 80% dos partos são realizados pelo SUS.
“Se antes faltava maturação do sistema para reduzir as taxas de mortalidade infantil e materna, hoje, as gestantes podem contar com o Mães de Minas e com o Call Center. As atendentes, compostas por mães e avôs, são carinhosamente apelidadas como madrinhas, que aconselham, orientam, agendam e acompanham de perto toda a gestação. É a presença do Estado nas residências mineiras,” declarou o secretário durante a entrevista.
Pioneirismo com o programa Saúde Mental
Minas é o primeiro Estado a desenvolver um serviço de abrangência psicossocial. O programa Saúde Mental irá receber até 2014 cerca de R$ 400 milhões provenientes do estado. “Com a evolução da rede e a adição de elementos e dispositivos experimentais, os cidadãos passam a contar com a estruturação de centros de atenção psicossocial (CAPS), serviços terapêuticos residenciais aliados ao combate de vícios em álcool e drogas. Na assistência há ainda a implementação de equipes de consultório de ruas em todo o Estado e centrais de ajuda”, completou.
No Programa Estadual de Controle ao Câncer de Mama, a novidade foi estabelecida em 2012, com a entrega de dois Mamógrafos Móveis, com estimativa de mais oito novas unidades a serem implantadas em 2013. Cada caminhão tem capacidade de realizar 200 mamografias/semana, com previsão de realização de 100 mil mamografias no dispositivo móvel em 2013.
“Na organização das redes de atenção à saúde e pela definição por meio de estudos embasados em como nascemos e morremos, o Estado almeja uma visão de futuro de tornar Minas Gerais um lugar para se viver mais e melhor. Por isso tem se investido cada vez mais na população e na estruturação de programas que atendam de forma humana e eficaz, recém-nascidos, jovens, adultos e idosos”, argumentou Antônio Jorge.
Neste ano houve, também a implantação de mais duas redes de Urgência e Emergência; quatro UPAs porte III, totalizando atualmente um total de sete unidades.  Já o Sistema Estadual de Transporte em Saúde (SETS) beneficiou, desde 2005, quase 9 milhões de pessoas de 543 cidades mineiras, com investimentos acima de R$ 100 milhões.
Em 2012 já foram entregues 235 novas ambulâncias a 232 municípios mineiros.Os investimentos na Rede Pro-Hosp chegaram a R$ 120 milhões, em 2012, beneficiando mais de 134 hospitais Pro-Hosp. Já o programa Farmácia de Minas contemplou em 2012, 187 municípios com R$ 100 mil para a construção das Farmácias de Minas.

Fonte: Agência Minas.

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.