O Centro de Acolhimento SOS Drogas, do Centro de Referência Estadual em Álcool e Drogas (Cread), realizou 21.820 atendimentos no ano passado. O SOS Drogas tem a finalidade orientar, gratuitamente, mediante solicitação, usuários de álcool e drogas do Estado. O serviço integra o Observatório Mineiro de Informações sobre Drogas (Omid), órgão ligado à Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Supod), e diretamente vinculado à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).

Qualquer cidadão que necessite de atendimento nos 853 municípios do estado pode entrar em contato através da Linha de Informações do Governo (LigMinas), por meio do número telefônico 155 (ligação gratuita), na opção 1. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h.

Outro meio de informação das entidades conveniadas é através do site do OMID – www.omid.mg.gov.br – onde consta a lista das instituições, sendo possível entrar em contato diretamente com a instituição e buscar o tratamento financiado pelo Estado.
De acordo com o subsecretário de Políticas sobre Drogas, Rafael Miranda, o SOS Drogas é uma ponte entre o Governo de Minas, usuários, familiares, entidades e demais cidadãos interessados na temática.
“Trata-se de uma ferramenta eficaz que tem possibilitado êxito no acolhimento e recuperação dos acometidos pelo uso e abuso de álcool e outras drogas. A nossa expectativa é ampliar o serviço e oferecer a cada município do Estado a mesma estrutura da capital mineira”, diz.
Atualmente são disponibilizadas 16.080 vagas de internação por ano (1.340 vagas por mês), em três tipos de modalidades: ambulatorial, permanência dia e abrigamento temporário. O serviço é prestado por meio de convênio com 28 instituições distribuídas em todo o Estado.

Atendimento

Nos primeiros momentos do contato o demandante recebe informações básicas e, caso necessário, a ligação é transferida para um especialista. Para participar o interessado deve preencher uma ficha inicial. Em seguida, ele é encaminhado aos cuidados de um membro da equipe do SOS Drogas.

Os profissionais que realizam os atendimentos são psicólogos especialistas em dependência química e estagiários de psicologia treinados e supervisionados. Além disso, são membros da equipe de acolhimento uma assistente social e uma enfermeira. 

De acordo com a psicóloga, especialista em dependência química do SOS Drogas, Maria Amélia Serafim Souza, o trabalho de atendimento ao usuário de drogas e seus familiares consiste em etapas de avaliação clínica e emocional e nível de envolvimento com a droga, em um trabalho de escuta, orientação e encaminhamento.

“Após a avaliação inicial, fazemos a orientação psicológica, psiquiátrica e o tipo de tratamento mais indicado para quem procura o SOS Drogas. Os tratamentos são separados em ambulatorial, em que é feito o acompanhamento uma vez por semana; a permanência dia nas instituições, com terapia de grupo e oficinas terapêuticas ministradas; e o abrigamento temporário, feito em comunidades terapêuticas na zona rural do estado”, informa.

Ainda segundo a psicóloga, hoje há recursos e técnicas suficientes para a melhora do usuário e o apoio aos familiares. Todos os passos são feitos com base em estudos preliminares sobre o usuário e a situação atual, desenvolvido por especialistas. “Me sinto gratificada com o trabalho do SOS Drogas. É super interessante realizar este trabalho porque vemos resultados efetivos para a melhora do usuário de drogas”, comemora.

Interior

Os usuários do interior podem buscar atendimento no SOS Drogas por demanda espontânea, que consiste na busca direta na instituição conveniada com o Estado. A lista de Instituições conveniadas encontra-se no site do Observatório Mineiro de Informações sobre Drogas (OMID).

Fonte: Agência Minas

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.