Visando proteger um maior número de pessoas contra a Gripe, o Ministério da Saúde (MS) prorrogou a 15ª Campanha de Vacinação até o dia 16 de maio. 
A ampliação do prazo, que terminaria na próxima sexta-feira, 9, possibilitará que um número maior de pessoas sejam imunizadas. A meta é vacinar 80% da população-alvo.

Devem receber a vacina crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, gestantes, mulheres em pós-parto até 45 dias (puérperas), indígenas, idosos, doentes crônicos, trabalhadores da área da saúde e a população carcerária.
Vacinação continua até sexta-feira, 16 / Foto: DivulgaçãoVacinação continua até sexta-feira, 16 / Foto: Divulgação

Assim como as outras cidades brasileiras, Sete lagoas ainda não atingiu o público esperado, que são 46 mil sete-lagoanos. O Secretário Municipal de Saúde e Gestor do SUS/SL, Breno Henrique Simões, ressalta que a vacina é distribuida gratuitamente nas unidades de saúde do município e alerta sobre importância das pessoas aderirem à Campanha.

“A vacina é segura e protege contra três vírus. A maioria das reações adversas é leve, como dor e sensibilidade no local da injeção. Só quem tem alergia a ovo não pode tomar a vacina,” lembra Simões.

Até a última terça-feira, 06, mais de 15 mil sete-lagoanos já haviam tomado a vacina, o que representa 42,46% do público-alvo. Até o momento, a melhor adesão à campanha é entre os idosos, com o percentual de cobertura de 36,85%.

Na sequência, 5.778 crianças já receberam a vacina, o que corresponde a taxa de 46,98%. Mais de 640 trabalhadores de saúde se vacinaram contra a gripe. A cobertura neste público é de 20,35%. As gestantes respondem pelo percentual de cobertura de 35%, o que representa quase mil futuras mães vacinadas. Mais de 180 puérperas, o que corresponde a 53,69% do público alvo.

No Brasil, em 2013, como resultado da imunização, houve redução de 64,1% nas mortes por agravamento da gripe H1N1. Foram 53 óbitos, contra 148 no ano anterior. Já o número de casos graves notificados diminuiu 44% - de 9.383 para 5.230. “Temos que manter alta a cobertura vacinal para assim reduzirmos a mortalidade, as complicações e internações provocadas pelo vírus da gripe”, ressalta o gerente de imunização da Secretaria de Saúde, Guilherme Menezes.

Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e, de 39% a 75%, a mortalidade global.

Entre os residentes em lares de idosos, a vacina reduz o risco de pneumonia em cerca de 60%, e o risco global de hospitalização e morte, aproximadamente de 50% a 68%, respectivamente. “Por isso, não perca tempo! Procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa e vacine-se”, pede o gerente de imunização.

Fonte: SeteLagoas.com.br

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.