Início da década do 50 - Cordisburgo com apenas 12 anos pós emancipação política; iniciava a caminhada como cidade, depois de ser o Arraial de Vista Alegre, por muitos anos.

Por aqui, se encontrava um político mineiro muito influente, que possuía uma fazenda com grande extensão territorial, muito produtiva e até, provida de um campo de aviação.

Aqui se chegava em pequenos aviões - os teco-tecos da época.

Este político-fazendeiro - Octacílio Negrão de Lima, pessoa de grande caráter, homem do bem e de bom coração, sentiu-se desejoso de dotar a cidade de um hospital, bem aparelhado e em condições de um excelente atendimento aos moradores.

Uma iniciativa muito arrojada e de enorme sentimento de amor. Dr. Octacílio, consegue um grande terreno e deu início à construção de um prédio majestoso, amplo, provido de muitas alas e até de uma capela.

Em 1953, era inaugurado o hospital da cidade. Imponente e dotado de todos os recursos para servir à comunidade.

O presidente brasileiro era Eurico Gaspar Dutra, Ministro da Educação e Saúde Prof. Clemente Mariani, Chefe da Saúde Gesteira Margazão e Diretor Geral do Dep. Nacional da Criança, Prof. J. Martagão Gesteirao, a obra foi financiada pelo Governo Federal através do Departamento Nacional da Criança; conforme placa de bronze - sem data, que se encontra até hoje, na entrada principal do prédio-hospital, atesta que o mesmo foi inaugurado com o nome da esposa do Presidente Dutra - Carmela Dutra.

A obra foi inicialmente entregue à administração da Irmandade de Nossa Senhora da Piedade, que, por muitos anos anos conseguiu manter o hospital em pleno funcionamento.

Posteriormente, passou a chamar Hospital Jenny Negrão de Lima, em uma homenagem à esposa do benfeitor Octacílio Negrão de Lima.


Quando resolveram assumir o comando do Hospital Jenny Negrão de Lima,. transferindo sua administração para o comando da prefeitura municipal da cidade; sua decadência começou e começou antes mesmo, das Irmãs serem desalojadas do prédio, perdendo estas, o direito de continuar a sua gerência operacional.

Daí em adiante, por vários anos sob responsabilidade de diversas administrações municipais, ficou evidenciado o declínio operacional do importante hospital de Cordisburgo.

Tudo o que foi feito, projetado e construído para o hospital, que veio a ser chamado de Hospital Municipal, entrou em decadência e já moribundo, foi reduzido a uma UBS - Unidade Básica de Saúde/Pronto Atendimento e pouco servindo à população.

Não há atendimento médico adequado.

À noite o ex-Hospital Municipal Jenny Negrão de Lima, de Cordisburgo é apenas um prédio portentoso, sem utilidade e na lembrança apenas dos mais antigos moradores da cidade.

Triste realidade de um passado recente.

Mas ainda, vale registrar por diversos ângulos fotográficos a grandiosidade e beleza da construção da "Casa de Saúde", onde, até a presente data, pessoas especiais e dedicadas trabalham para manter o básico atendimento ao povo de Cordisburgo.

Cordisburgo cidade do coração...do coração de todos nós!

Reportagem e fotos Adriano Bossi
















O Movimento Ajudar Não Dói esteve em Cordisburgo neste Domingo e o que vimos não foi uma distribuição de brinquedos, mas sim de sorrisos.

A felicidade tomou conta não só das crianças, mas de todos que se encontravam no Espaço Cultural Haydée Ferreira Viana, a sede da Banda de Música Vitalina Corrêa.

Os voluntários, juntamente com o Sargentinho Leonardo, realizaram várias brincadeiras, distribuíram carrinhos, bolas, bonecas e bichos de pelúcia para uma multidão de crianças.

O principal objetivo que era de levar atenção, afeto e carinho para as crianças cordisburguenses foi atingido completamente e podemos esperar novas ações do grupo na cidade, tamanho o sucesso obtido nesta empreitada.

O A.N.D que foi criado em Belo Horizonte como uma rede colaborativa de solidariedade na busca de mobilizar pessoas para causas nobres dispondo atenção e cuidados ao próximo tem hoje uma responsabilidade ainda maior, pois abraçou a cidade de Cordisburgo, que também os abraça e espera ansiosamente sua volta.

Resta a nós cordisburguenses agradecer ao Movimento Ajudar Não Dói por cada abraço dado, cada brinquedo distribuído, cada sorriso despertado e por toda a felicidade exalada. Muito obrigado pela excelente tarde de Domingo proporcionada às crianças da cidade.

Texto e imagens: Lucas Gustavo











































Tecnologia do Blogger.