O Núcleo de Estudos Econômicos e Sociais (NEES), do Centro Universitário de Sete Lagoas (UNIFEMM), pesquisou, nos principais supermercados de Sete Lagoas, a prática de preços da Cesta de Páscoa no período que antecede a Semana Santa. As coletas de preços foram realizadas entre os dias 27 e 31 de março de 2017. Este suplemento indica os custos médios, maiores e menores preços, e as respectivas variações dos itens que compõem a Cesta Básica de Páscoa. Ressalta-se que alguns destes itens possuem marcas definidas. Por iniciativa do NEES, a razão social dos estabelecimentos comerciais não é divulgada.

Grande parte dos produtos da Cesta de Páscoa apresentou variação positiva entre os anos de 2016 e 2017. As maiores variações foram registradas no preço médio dos Peixes, Traíra (49%) e Bacalhau do Porto (37,4%). Outro produto que deve ser citado é o Bacalhau Saithe, utilizado por diversas famílias nesta época do ano, o produto registrou queda em seu preço médio de aproximadamente 15%. Esta queda está ligada à variação do dólar, que desvalorizou, o que influencia na importação dos pescados, por outro lado, a situação econômica atual dos brasileiros também gera reflexos, haja vista que a demanda está menos aquecida. Se há busca por preços mais acessíveis, o consumidor deve pesquisar, principalmente, em razão de marca e qualidade do produto.

As oscilações presentes nos preços praticados entre os supermercados de Sete Lagoas são significativas. As diferenças mais relevantes foram registradas nos preços do quilograma de Traíra, que oscila entre R$ 16,80 e R$ 34,90. O Filé de Panga também foi destaque, por registrar diferenças de preços expressivas, pode ser comprado a preços que variam entre R$ 10,65 e R$ 21,90 o quilo.

 As caixas de bombons, produtos largamente consumidos neste período e que substituem os Ovos de Páscoa, registraram diferenças entre estabelecimentos de até 56 %. As variações de preços chegam a 43,5% entre os estabelecimentos. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, verificam-se acréscimos de até 25% nos preços. Notou-se ainda uma menor oferta dos Ovos de Páscoa nos supermercados pesquisados no município em 2017. Por fim, dos 16 ovos de Páscoa apresentados, apenas um apresentou redução nos preços se comparados com o ano anterior. Ao confrontar os preços cobrados no ano de 2016, tem-se como maior elevação o Ovo de Páscoa Laka, que registrou acréscimo relevante entre os anos, 20%. Este mesmo Ovo pode ser encontrado com valores que variam de R$ 29,80 e 38,50, com 196 gramas/ unidade.

Por: Cynara Quintão Karina Moura,  Economistas do Núcleo de Estudos Econômicos e Sociais (UNIFEMM)

Fonte: Mega Cidade

Postar um comentário

Regras de comentário:

PROIBIDO
Comentários ofensivos.
Xingamentos.
Palavrões.
Spam.
Comentários sem relação alguma com o conteúdo.
Injúrias.

Tecnologia do Blogger.